É possível odiar a própria mãe?

Com o Dia das Mães se aproximando e o comércio lutando entre si para atrair e convencer os filhos a escolher o que cada loja diz ser o melhor presente, o clima é de expectativa para um fim de semana alegre e cheio de amor entre mães e filhos.

Mas será que o relacionamento familiar se resume a isso? Um dia no ano para confraternizar com as mães e dar presentes?

É natural pensar que todos os filhos amem suas mães e vice-versa, mas nem sempre é assim. Brigas e desentendimentos entre mães e filhos são muito frequentes e é até mesmo possível chegar a um extremo no qual o ódio foi tudo que restou.

Ainda que seja difícil entender como que um filho poderia ter tanta raiva da sua própria mãe a ponto de ser violento com ela, é comum encontrar este tipo de situação em todas as classes sociais.

Para começar a compreender o comportamento humano é importante analisar o tema da “ajuda”. Esse tema é bastante conturbado. As pessoas têm ideias diferentes sobre o que é realmente ajudar.

Será que a ajuda verdadeira é possível? Já foi ajudado?

Alguma vez, ajudou uma pessoa e em vez de agradecimento, recebeu ingratidão, desrespeito e até ódio em troca? Desistiu de ajudar? Fracassou na sua tentativa de ajudar alguém? Por que acontece tudo isso?

O filósofo americano L. Ron Hubbard traz luz ao tema: “Basicamente, uma pessoa tem a intenção de ajudar. O início de qualquer dificuldade em que ela agora esteja é um esforço para ajudar. E também, a única razão pela qual ela está viva e feliz é por causa da ajuda. Isto é uma faca de dois gumes. É uma moeda de dois lados.”

“Se pensarem em alguém que odeiam, podem provavelmente se lembrar de um momento em que tentaram ajudá-lo ou a alguém como ele. O seu ódio, na verdade, está baseado no fato de vocês terem fracassado. Falharam consigo mesmos e com ele.” – L. Ron Hubbard (da palestra Ajuda) do Congresso de Londres sobre Disseminação e Ajuda

Os filhos querem muito ajudar suas mães, afinal desejam retribuir toda a ajuda que receberam delas, mas muitas vezes as mães os impedem de dar esta contribuição e isso pode ser o início de muito desentendimento nas famílias.

Portanto, melhor do que dar presentes no Dia das Mães, os filhos devem pensar em como irão ajudar suas mães e, ao mesmo tempo, elas precisam estar dispostas a receber essa ajuda.

Uma ideia é contribuir com os afazeres de casa. Deixe sua mãe descansando no domingo, nada de deixá-la ir para a cozinha, lavar roupa ou limpar a casa. Faça uma massagem nela, leve-a para dançar, passear etc.

Desta forma, não somente o Dia das Mães será muito mais agradável para todos, mas os relacionamentos familiares também ficarão fortalecidos.

Escreva nos comentários seus planos para ajudar a sua mãe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *