Quem é feliz não se suicida

Neste mês de setembro, no Brasil, há uma campanha que visa a prevenção ao suicídio através da valorização da vida.

Fiquei muito feliz por ter contribuído através de duas palestras ministradas sobre o assunto. A primeira foi na Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e a segunda aconteceu no Seminário de Valorização da Vida, realizado na Academia de Polícia Civil de São Paulo localizada na USP.

Nessas palestras, eu expliquei como que a dor, perdas, fracassos e qualquer tipo de sofrimento ficam registrados como imagem em uma parte da mente humana descoberta pelo filósofo L. Ron Hubbard e denominada mente reativa; e quais são as consequências disso nas vidas das pessoas.

O fato é que toda e qualquer dor que um indivíduo experimente tem um impacto muito negativo na vida dele. Faz com que ele perca energia e baixa seu nível emocional. O resultado no decorrer dos anos é uma pessoa cada vez mais desanimada, infeliz, sem vontade de ultrapassar obstáculos e atingir metas.

A velocidade com que isso acontece depende do volume e frequência da dor. Qualquer dor muitíssimo forte de uma só vez pode levar uma pessoa à morte. Dores em pequenas doses durante toda uma vida conduzem qualquer ser vivo à morte também, mas de forma gradativa.

Gostaria de pensar para verificar se isso é verdade?

Em algum momento reparou como um adolescente já não é tão vivo e cheio de energia como uma criança? E que o adulto, então, é geralmente mais lento, cuidadoso, menos comunicativo e ativo? A vida parece que vai deixando a pessoa à medida que envelhece.

Como isso é comum, todos pensam que é normal. Mas está muito longe de ser normal. E a melhor notícia é que pode ser revertido sendo possível recuperar a energia e a motivação pela vida perdidas no transcorrer da existência.

Imagine conseguir manter a experiência acumulada através dos muitos anos de vida e recuperar a energia e vitalidade da infância!

O que foi sempre o desejo de pessoas mais velhas agora se torna realidade: L. Ron Hubbard desenvolveu uma terapia que alivia toda a dor e sofrimento da vida de uma pessoa e assim, devolve-lhe sua saúde, vigor e felicidade!

Desta forma contribui-se enormemente à campanha Setembro Amarelo porque quem é feliz não se suicida!

Além disso, o conhecimento de como a mente funciona descrito com detalhes no livro best-seller internacional Dianética: O Poder da Mente sobre o Corpo ajuda muito na prevenção ao suicídio e, portanto, salva vidas.

Percebi que com um pequeno resumo do livro, que eu passei nas palestras que ministrei, já deixei os participantes mais esperançosos e felizes, pois perceberam que há uma solução natural e prática para reverter a perda da motivação pela vida.

E assim, em todos os meses do ano, continuarei trabalhando em minha missão de vida que é contribuir para que as pessoas tenham vidas longas e felizes!

Se você quiser receber minha palestra online gratuitamente clique aqui: quero palestra online.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *