Com quem você passa mais tempo?

As pessoas com as quais nos relacionamos podem nos influenciar bastante e, por isso, é importante escolher bem com quem conviver.

Com certeza, você já ouviu a famosa frase do Jim Rohn: “Você é a média das cinco pessoas com quem passa mais tempo.” Mas, por que é assim? Vamos analisar.

É fácil perceber que o ser humano gosta de viver em grupo. E muitas vezes até prefere estar mal acompanhado do que só. Ele nutre também um desejo intenso de ser aceito e admirado por seus semelhantes. Estas características podem inibir pensamentos independentes e, principalmente, discordantes. E pior, suprimir avanços científicos importantes para a humanidade.

Um exemplo histórico desta ocorrência foi o do médico inglês William Harvey – graduado pela Universidade de Medicina de Pádua em 1602. Ele foi a primeira pessoa a descrever corretamente a circulação do sangue no corpo, mostrando que as artérias e veias formam um circuito completo que começa e termina no coração.

Harvey foi capaz de fazer estas descobertas porque ignorou os textos médicos vigentes, preferindo suas próprias observações e deduções feitas durante a dissecação de animais. E ele foi combatido, mas conseguiu avançar porque desconsiderou o desejo humano de ser aceito pelos demais.

Em vez de ser admirado por ter corrigido os erros do famoso médico Galeno (de origem grega) a respeito da circulação do sangue, Harvey acabou hostilizado pelos médicos da época que usavam os métodos inúteis de sangria do Galeno. As críticas eram tantas que o consultório do Harvey teve um declínio acentuado.

E esse é só um exemplo de inúmeros outros casos nos quais a autoridade fala mais alto do que a pesquisa, a observação individual e o bom senso. Muitas vezes, nesta sociedade “erudita” e, principalmente, no “mundo acadêmico” a definição de sanidade consiste em analisar se a pessoa concorda ou discorda com a maioria.

Felizmente, de vez em quando aparece um “rebelde” insatisfeito com a supremacia de opinião. Ele testa, investiga, pesquisa e observa por si mesmo os dados, atingindo desta forma avanços consideráveis para a humanidade.

Mas o que tudo isso tem a ver com a vida e o sucesso de qualquer pessoa? O primeiro obstáculo a ser vencido é a nossa educação muito autoritária que nos inibe de pensar de forma independente. É necessário também entender o sistema de controle da sociedade para começar a discordar e ter alguma chance de sair dele. E, além disso, para conseguir se sobressair, um indivíduo tem de se elevar acima do desejo ardente de obter acordo grupal.

Pode ser que no início, você se sinta só, mas logo encontrará outros “rebeldes” como o escritor e filósofo L. Ron Hubbard que nos indica com quem conviver e caminhar:

“Caminhe com os sonhadores, os que têm coragem, os alegres, os que planejam, os que fazem, os que têm suas cabeças nas nuvens e os pés sobre a terra, permita que os espíritos deles incendeiem um fogo dentro de você, para que ajudem a deixar este mundo melhor do que encontraram.” – L. Ron Hubbard

E você, com quem passa mais tempo? Analise e escreva o que pensa sobre este assunto nos comentários.

 

3 thoughts on “Com quem você passa mais tempo?

  1. Natalia Omori de Almeida Reply

    Parabéns Lúcia, tema muito importante! Adoro pessoas fora da curva, são entusiasmadas com a vida e nos inspiram.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *